Criptomoedas para a comunidade de investidores tradicionais

As criptomoedas são uma classe de ativos especial. Desde 2009, quando foi lançado o Bitcoin, o primeiro criptoativo, esta classe de ativos tem gerado rentabilidades fenomenais para investidores a longo prazo. No entanto, nem sempre as coisas foram fáceis. Ao longo destes anos, os criptoativos apresentaram níveis elevados de volatilidade.

Os criptoativos provaram que podem ser utilizados de múltiplas formas no mundo moderno. Atualmente, estão em curso no ecossistema das criptomoedas literalmente milhares de projetos inovadores. À medida que as empresas continuam a adotar esta tecnologia, é provável que este ecossistema se expanda.

Será que as criptomoedas têm atualmente um lugar nas carteiras dos investidores tradicionais? A resposta a esta pergunta parece ser que sim, se tomarmos por bons os relatórios analíticos das principais instituições financeiras globais. Vários estudos recentes revelam que, quando acrescentamos um montante limitado de criptomoedas a uma carteira de investimentos tradicional, equilibrada, de longo prazo, o perfil geral de risco/rentabilidade da carteira melhora significativamente, apesar da volatilidade inerente aos criptoativos. 

Porque devemos acrescentar criptomoedas a carteiras de investimentos de longo prazo

Do ponto de vista do investimento, existem vários benefícios importantes associados a possuir criptoativos. Entre estes incluem-se: 

  • Potencial de rentabilidade sólida a longo prazo. Basta olhar para o desempenho a longo prazo de criptoativos como o Bitcoin ou o Ethereum. Por exemplo, nos cinco anos que antecederam o dia 30 de junho de 2021, o Bitcoin subiu de cerca de 680 USD1 para cerca de 36 000 USD, gerando uma rentabilidade de mais de 5000%, ao passo que o Ethereum disparou de 12,50 USD2 para 2275 USD, gerando uma rentabilidade de mais de 18 000%. São rendimentos extraordinários, com efeito,  mas os investidores deverão ter sempre presente que desempenhos anteriores não são indicador de rendimentos futuros. 

  • Maior diversificação. Em geral, os criptoativos têm uma correlação baixa com os ativos tradicionais, tais como ações, obrigações, imobiliário e matérias-primas. Isso significa que as criptomoedas têm o potencial de ajudar a diversificar as carteiras de investimentos a longo prazo, reduzindo o risco total. Vale a pena salientar que, em relação aos ativos tradicionais, os criptoativos oferecem algo diferente aos investidores. Tomemos o Bitcoin, por exemplo. Trata-se de um ativo completamente descentralizado, o que significa que escapa a qualquer controlo governamental. Além disso, é um ativo relativamente escasso, uma vez que apenas podem ser minerados 21 milhões de Bitcoin. 

Como melhorar o perfil de risco/rendimento de uma carteira de investimentos pela alocação de criptomoedas

Embora muitos investidores tradicionais estejam preocupados com a volatilidade dos criptoativos, vários estudos indicam que a alocação de um pequeno montante de criptomoedas pode ser benéfica numa perspetiva de risco/rentabilidade. 

Em 2020, a Fidelity testou o impacto de acrescentar um montante limitado (1 a 3%) de Bitcoin a uma carteira tradicional equilibrada a 60/40. A empresa concluiu que as carteiras com exposição ao Bitcoin apresentaram uma rentabilidade substancialmente maior a longo prazo do que a da carteira padrão a 60/40, sem que os níveis de risco fossem significativamente maiores. O rácio de Sharpe — que mede a rentabilidade ajustada ao risco de carteiras de investimentos — registou valores mais elevados para as carteiras com exposição ao Bitcoin. 

Rentabilidade média a 5 anos Volatilidade anualizada Rácio de Sharpe
Carteira equilibrada a 60/40 6,83% 11,67% 0,59
Carteira equilibrada com 1% de Bitcoin 7,98% 12,04% 0,66
Carteira equilibrada com 2% de Bitcoin 9,11% 12,54% 0,73
Carteira equilibrada com 3% de Bitcoin 10,24% 13,16% 0,78

Fonte: Fidelity. Rentabilidades à data de 30 de setembro de 2020. 

As conclusões da Fidelity foram semelhantes às da WisdomTree, que, em 2019, também comparou o desempenho a longo prazo de uma carteira global a 60/40 com o desempenho de carteiras equilibradas com pequenos montantes (1 a 3%) de Bitcoin. A WisdomTree concluiu que as carteiras com exposição ao Bitcoin geraram rentabilidades muito mais elevadas a longo prazo, sem que os níveis de risco fossem substancialmente maiores. Uma lição particularmente interessante do estudo da WisdomTree foi que, mesmo durante os chamados “invernos das criptomoedas”, quando os criptoativos sofreram grandes desvalorizações, o desempenho das carteiras não foi muito afetado. 

Mais recentemente, os analistas da Morningstar estudaram as consequências de introduzir uma exposição ao Bitcoin de 5% numa carteira de ativos tradicionais equilibrada. Mais uma vez, os analistas concluíram que a exposição à criptomoeda melhorou amplamente a rentabilidade global da carteira, sem aumentar demasiado o risco. 

Em resumo, os estudos sugerem que acrescentar um montante limitado de criptomoedas a uma carteira de investimentos tradicional e equilibrada pode ser compensador. Acrescentar criptomoedas pode potencialmente impulsionar a rentabilidade, sem impacto substancial no risco. 

Como adicionar criptomoedas a uma carteira tradicional

Os criptoativos ainda estão a dar os primeiros passos e é difícil antever que ativos digitais serão adotados globalmente a longo prazo. Assim sendo, no que se refere ao investimento em criptomoedas, a opção mais sensata é começar com uma alocação de capital limitada e diversificar utilizando ativos diferentes. 

Num esforço para ajudar os investidores a obterem uma exposição diversificada às criptomoedas, o eToro desenvolveu vários Portfolios inovadores que proporcionam acesso a vários ativos digitais num único investimento. Entre estes incluem-se carteiras de investimentos elementares, que proporcionam exposição a criptomoedas utilizando metodologias tradicionais de construção de índices, e carteiras de investimento mais avançadas, que transacionam ativamente em ativos digitais. 

Os investidores que procuram exposição direta a criptoativos poderão querer avaliar:

  • O CryptoPortfolio. Esta estratégia aloca capital a um conjunto importante de criptoativos com base na sua capitalização bolsista e na sua representação no mercado das criptomoedas.
  • A carteira CryptoEqual. Esta carteira de investimento proporciona exposição a alguns dos principais criptoativos, sendo que todos têm igual ponderação. 
  • A carteira Crypto-currency. Esta carteira de investimento aloca capital aos dois maiores criptoativos: o Bitcoin e o Ethereum. 

Os investidores que estão mais avançados no mundo das criptomoedas e que procuram exposição às tendências mais recentes das criptomoedas e às tecnologias de ativos digitais disruptivas poderão querer avaliar:

  • A carteira DeFiPortfolio. Esta carteira de investimentos proporciona exposição a alguns dos criptoativos que participam na revolução das DeFi, incluindo o Ethereum. 

Os investidores que procuram exposição mais ampla ao ecossistema dos criptoativos poderão querer avaliar:

  • A carteira BitcoinWorldWide. Esta carteira de investimentos aloca capital ao Bitcoin, bem como a ações das empresas da cadeia de valor do Bitcoin, incluindo empresas de mineração, fabricantes de semicondutores, empresas de serviços de pagamentos, bolsas de valores, depositários e companhias de seguros. 

Por último, os investidores que procuram exposição a criptomoedas gerida mais ativamente poderão querer avaliar:

  • A carteira Napoleon-X. Trata-se de uma estratégia quantitativa de longo prazo, gerida ativamente, que transaciona nos pares BTC/USD, ETH/USD, LTC/USD, ADA/USD e BNB/USD, todos com igual exposição e com reajustamentos periódicos.
  • A carteira TIE Sentiment AI (disponível apenas nos EUA). Trata-se de uma estratégia gerida ativamente que utiliza tecnologia avançada de análise de dados para negociar em criptoativos. 

Com os CopyPortfolios do eToro, acrescentar criptomoedas a uma carteira de investimentos é fácil e simples. Com um só clique, poderá ter acesso a vários criptoativos, diversificando instantaneamente a sua carteira. 

Fontes:

  1. https://finance.yahoo.com/quote/BTC-USD/history?period1=1420088400&period2=1514782800&interval=1wk&filter=history&frequency=1wk
  2. https://finance.yahoo.com/quote/ETH-USD/history?period1=1597104000&period2=1628640000&interval=1d&filter=history&frequency=1d&includeAdjustedClose=true
  3. https://www.fidelitydigitalassets.com/bin-public/060_www_fidelity_com/documents/FDAS/bitcoin-alternative-investment.pdf
  4. https://www.wisdomtree.eu/en-gb/-/media/eu-media-files/other-documents/research/market-insights/wisdomtree_market-insight_bitcoin-in-portfolio_en.pdf
  5. https://www.morningstar.com/articles/1045168/how-a-little-bitcoin-can-change-your-6040-portfolio-a-lot
27 Visualizações