Fundamentos da análise técnica

Desde que passei a ser um Popular Investor no eToro, tenho tentado ajudar as pessoas que me copiam a aprenderem mais sobre negociação e investimento. Quando se trata de adquirir uma nova competência, muitos têm a tendência de mergulhar diretamente em profundidade esquecendo-se, por vezes, de que deviam começar por aprender a nadar. Isto é especialmente verdade quando queremos aprender a negociar!

Aprender a negociar requer muito tempo e muita disciplina, e é fundamental dominar solidamente os princípios básicos. Esta publicação no blogue foi escrita para o ajudar a dar os primeiros passos na aprendizagem das noções básicas da análise técnica.

Introdução aos gráficos de velas

Para estudar análise técnica, deve começar por compreender o que representam as velas nos gráficos de velas. Quando falo de velas, não me estou a referir às velas de cera que muitos de nós temos nas nossas casas. 

Tenho a certeza de que todos já repararam nas velas vermelhas e verdes dos gráficos, mas o que é que representam realmente essas velas? De forma simples, as velas representam a evolução do preço de um ativo ao longo de um determinado período de tempo. Se uma vela estiver verde, isso significa que a cotação de fecho das ações foi superior à de abertura, no intervalo de tempo especificado. Se a vela estiver vermelha, isso significa que a cotação de fecho ficou abaixo da de abertura, num intervalo de tempo específico.

Intervalos de tempo

No papel de negociador, é importante analisar a evolução dos preços em diversos horizontes temporais. Ao abrir o gráfico de um qualquer ativo, poderá optar por uma grande variedade de intervalos de tempo. Desde o anual, onde a vela representa a evolução da cotação ao longo de um ano inteiro, até ao intervalo de um minuto. 

Certamente já deve ter ouvido as expressões “bullish” ou “bearish” aplicadas a determinados ativos. Ser “bullish” significa que acredita que o preço de um certo ativo irá subir, ser “bearish” significa que acredita que o preço irá baixar. Ao aprender a decifrar estes fantásticos gráficos de velas, poderá ser útil utilizar um horizonte temporal mais alargado para compreender se um determinado ativo está atualmente numa fase de tendência “bullish” ou “bearish” (também conhecido como a estrutura do mercado).

O que é que nos dizem as velas?

Os preços de abertura e fecho são representados graficamente naquilo a que chamamos o corpo da vela. Numa vela verde, o preço na parte inferior da vela é o preço inicial no intervalo de tempo em análise, aquilo a que chamamos “abertura”, e o preço no topo é o preço final, a que chamamos “fecho”. No caso das velas vermelhas, é precisamente ao contrário. 

Acima e abaixo do corpo de cada vela vermelha ou verde estão os pavios. Os pavios indicam-nos os preços mais altos e mais baixos registados durante os intervalos de tempo especificados, ou seja a “amplitude”. 

Por exemplo, ao analisar o intervalo de uma hora, poderia constatar que um determinado ativo abriu a 10 USD e fechou a 20 USD. No entanto, durante a mesma hora, o preço poderá ter subido até aos 25 USD ou descido até aos 5 USD. Os pavios dão-nos todas estas informações e são úteis para identificar os níveis de suporte e resistência (o que irei explicar a seguir). 

Introdução aos níveis de suporte e resistência

Sendo um novo negociador, ao utilizar ferramentas de análise técnica, poderá ter alguma dificuldade em decidir no que focar-se. Poderá já ter ouvido falar outros negociadores de muitos dos indicadores que existem por aí, tais como RSI, MACD e EMA, a par das extravagantes ondas de Elliot, nuvens de Ichimoku, análise estocástica e bandas de Bollinger. Tudo isto, inevitavelmente, faz com que os gráficos dos novos negociadores, dotados de tantas linhas e indicadores, acabem por se parecer com os quadros de Jackson Pollock.

Níveis de suporte e resistência

Os níveis de suporte e resistência são ferramentas de análise técnica que podem dar aos investidores indicações sobre quando deverá subir ou descer o preço de um determinado ativo. 

Por exemplo, se a cotação de determinadas ações estiver a subir, poderá querer saber por quanto tempo continuará a subir? Será boa altura para investir? A mesma pergunta se poderá fazer quando a cotação estiver a cair. Por quanto tempo continuará a baixar? A verdade é que ninguém pode dar respostas definitivas. 

No entanto, os níveis de suporte e resistência são zonas de preços definidas com base no desempenho anterior das ações, o que quer dizer que, caso a cotação das ações suba e entre nessa zona, esperamos uma inversão da trajetória, uma vez que foi atingida uma zona de resistência. O mesmo se aplica quando a cotação das ações está a baixar. Quando a cotação cai para uma determinada zona ou área, e atinge um nível de suporte, esperamos que a trajetória se inverta.

Por vezes, as ações continuam a subir para além do nível de resistência. Quando isso acontece, o nível de resistência anterior passa a ser um nível de suporte e cria-se um novo nível de resistência. Se a cotação de determinadas ações cair abaixo de um nível de suporte, terá de se estabelecer um novo nível de suporte, e o nível de suporte anterior passará a ser um nível de resistência.

Robustez dos níveis de suporte e resistência

Os níveis de suporte e resistência que se formam em intervalos de tempo mais longos, tais como nos gráficos semanais, diários ou de 4 horas, tendem a ser bons para identificar áreas potenciais de inversão ou prolongamento de uma tendência. Há diversas formas de adicionar fatores de confluência a um nível de suporte e resistência e à probabilidade de que o nível se mantenha, independentemente do intervalo de tempo em que foi encontrado. 

Imagine um elefante sobre uma camada de gelo muito espessa, que suporta confortavelmente o peso do animal. O gelo aguenta o elefante e funciona como um nível de suporte. Agora imagine que o elefante convida alguns amigos, um de cada vez, para se juntarem a ele em cima do gelo. Com cada elefante adicional sobre o gelo, é cada vez mais provável que a camada de gelo se parta. O mesmo se aplica aos níveis de suporte. Quanto mais vezes a cotação de determinadas ações descer e atingir um nível de suporte, maior será a probabilidade de que o referido nível não resista e leve a novas descidas na cotação das ações.

O mesmo se aplica aos níveis de resistência. Quanto mais vezes a cotação das ações atingir um nível de resistência, maior será a probabilidade de que a cotação acabe por romper e levar a um aumento adicional da cotação (embora a analogia do elefante não funcione neste caso, pelo que precisará de imaginar outra analogia qualquer…).

Exemplos de gráficos reais

Antes de chegar ao fim desta publicação, quero partilhar alguns exemplos de gráficos reais para ilustrar visualmente os conceitos. Por vezes, uma imagem faz com que os conceitos sejam muito mais fáceis de compreender!

Exemplo de Bitcoin (gráfico diário)

No primeiro exemplo, utilizei um gráfico diário de Bitcoin que apresenta um bom nível de suporte e resistência. No início de 2021, o Bitcoin atingiu um novo máximo, ao nível dos 42 400 USD, mas acabou por quebrar esse nível de resistência logo à primeira. Ao longo das semanas seguintes, o Bitcoin continuaria a subir até atingir cerca de 58 000 USD. No entanto, sofreu então uma correção de aproximadamente 30%, recuando para pôr à prova o anterior nível de resistência diária, o do máximo anterior, que era de cerca de 42 400 USD.

Como pode ver no gráfico abaixo, isto acabou por resultar, nesse momento, no estabelecimento de um novo máximo histórico para o Bitcoin, a rondar o nível dos 61 500 USD. Se consideramos, de forma simplista, que o mercado do Bitcoin continuará “bullish”, e tendo em conta os conceitos básicos de suporte e resistência, a evolução seguinte do Bitcoin poderá muito bem ser a de quebrar o mais recente máximo de 61 500 USD para depois voltar descer e pôr à prova este nível, transformando-o em nível de suporte. 

Este gráfico também ilustra perfeitamente que os níveis de suporte e resistência devem ser vistos como zonas, e não níveis específicos perfeitamente determinados.

Exemplo de Ethereum (gráfico diário)

Este exemplo ilustra um conceito discutido anteriormente no blogue, sobre a robustez dos níveis de suporte ou resistência. No gráfico abaixo poderá constatar que, a partir do início de 2021, o Ethereum esteve durante um longo período de tempo a pairar em torno do nível dos 1700 USD.

Pelo gráfico, percebe-se que se trata de um nível importante para o Ethereum; tem funcionado frequentemente como suporte e resistência no gráfico diário. Na última vez em que foi colocado à prova como nível de suporte, pode verificar-se que este nível foi posto à prova cerca de oito vezes, antes de o Ethereum cair novamente, por fim, abaixo dos 1700 USD.

Resumo

Tenho esperança de que alguns dos leitores tenham achado esta publicação no blogue útil. Aprender a negociar de forma rentável requer tempo e disciplina, mas adquirir uma base sólida em análise técnica será um excelente ponto de partida. Tenho sempre muito gosto em falar sobre análise técnica, partilhar a minha opinião ou responder a quaisquer perguntas que possa ter, pelo que não hesite em contactar-me no eToro!

Andy Cleaver é um Popular Investor no eToro. Prefere uma carteira de baixo risco e esforça-se por bater os principais índices ao longo de cada ano. Quando Andy investe a longo prazo, procura empresas que possam continuar a criar valor no futuro.

Os CFD são instrumentos complexos e comportam níveis elevados de risco de perda rápida de dinheiro devido à alavancagem. Nas transações de CFD com este fornecedor, 67% das contas de clientes particulares perderam dinheiro. Deverá ponderar se compreende como funcionam os CFD e se pode correr o risco elevado de perder o seu dinheiro.

O CopyTrading é um serviço de gestão de carteiras prestado pelo eToro (Europe) Ltd., que é autorizado e regulamentado pela Cyprus Securities and Exchange Commission.

O investimento em criptoativos não está regulamentado nalguns países da UE nem no Reino Unido. Sem proteção ao consumidor. O seu capital está em risco.

46 Visualizações